Participantes da Glória de Cristo Agora

‘Aos presbíteros, que estão entre vós, admoesto eu, que sou também presbítero com eles, e testemunha das aflições de Cristo, e participante da glória que se há de revelar.’

Confiando no Deus Todo-Suficiente 

‘Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará. Direi do Senhor: Ele é o meu Deus, o meu refúgio, a minha fortaleza, e nele confiarei.’

Testando e Peneirando os Crentes

‘Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse; Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis.’

Cinco Regras para a Igreja

‘E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração.’

A Mentalidade do Crente

‘Ora, pois, já que Cristo padeceu por nós na carne, armai-vos também vós com este mesmo pensamento, que aquele que padeceu na carne já cessou do pecado; Para que, no tempo que vos resta na carne, não vivais mais segundo as concupiscências dos homens, mas segundo a vontade de Deus.’

O Fim do Mandamento

‘Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida.’

Representando Deus

‘Antes, santificai ao Senhor Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós.’

Engrandecendo a Cristo no Coração

‘Antes, santificai ao Senhor Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós.’

O Precioso Calvário

‘Porque não foi aos anjos que sujeitou o mundo futuro, de que falamos. Mas em certo lugar testificou alguém, dizendo: Que é o homem, para que dele te lembres? Ou o filho do homem, para que o visites?’

O Chamado à Longanimidade

‘E, finalmente, sede todos de um mesmo sentimento, compassivos, amando os irmãos, entranhavelmente misericordiosos e afáveis. Não tornando mal por mal, ou injúria por injúria; antes, pelo contrário, bendizendo; sabendo que para isto fostes chamados, para que por herança alcanceis a bênção.’

Nunca Fora do Seu Cuidado 

‘Vós, servos, sujeitai-vos com todo o temor aos senhores, não somente aos bons e humanos, mas também aos maus.’

Obedecendo às Autoridades Civis

‘Sujeitai-vos, pois, a toda a ordenação humana por amor do Senhor; quer ao rei, como superior; Quer aos governadores, como por ele enviados para castigo dos malfeitores, e para louvor dos que fazem o bem.’

Ataques à Alma

‘Amados, peço-vos, como a peregrinos e forasteiros, que vos abstenhais das concupiscências carnais, que combatem contra a alma; Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem.’

A Alegria Nunca Deve Falhar

‘Ao qual, não o havendo visto, amais; no qual, não o vendo agora, mas crendo, vos alegrais com gozo inefável e glorioso.’

Uma Vida de Expectativa

‘Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos.’

A Incredulidade Dos Crentes

Nenhum dos discípulos e seguidores imediatos do Senhor, homens ou mulheres, esperava a ressurreição. Todos perderam de vista Seu ensino sobre Sua ressurreição no terceiro dia. Apenas os chefes dos sacerdotes hostis se lembraram disso. Aqui está o porquê e o que devemos aprender com isso.

Como Cristo Apela Aos Nossos Corações

Os acontecimentos “incidentais” na cruz do Calvário, têm um significado importante para a alma, mostram como Deus tornou a salvação possível. E como isto é experimentado por todos aqueles que se voltam para Cristo e confiam Nele.

Rejeitando Cristo, o Senhor

Os três eventos das audiências de Cristo perante Pilatos; a escolha monumental de Barrabás em detrimento do Senhor, a humilhação do Salvador pela guarda imperial, mostram a total depravação da incredulidade, e o imensurável amor de Deus na redenção.

O Poder Do Treinamento Da Graça

“Porque a graça salvadora de Deus se há manifestado a todos os homens, Ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente, Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo; O qual se deu a si mesmo … Continued

A Primeira Ceia Do Senhor

A “última ceia” que levou à primeira Ceia do Senhor. Aqui veremos como Cristo ordenou a refeição para o seu povo e os seis propósitos, que fortalecem grandemente a igreja e os seus membros. E o “rito” que nos mostra Cristo.

Ser Conformados a Cristo

Nesta passagem, o primeiro passo para avançar na comunhão com Cristo é uma apreciação plena de Sua pessoa. A segunda é a mortificação do amor-próprio. A terceira é ver tudo o que possuímos como sendo dele, confiado a nós para administração piedosa.

A Pessoa, Maneira e Poder de Cristo

Os últimos dias de Cristo na terra mostram sua natureza divina, seu propósito redentor e poder para encerrar a era judaica e inaugurar a era do evangelho. Também ensina os elementos cruciais da verdadeira adoração e como experimentar o poder de Deus e ser frutífero.

Ambição Nos Crentes

Começando a jornada final para Jerusalém, onde morreria no Calvário, Cristo falou sobre sua morte e ressurreição. Então Tiago e João revelaram suas ambições terrenas. A armadilha do orgulho no povo de Deus, como é estimulada, suas consequências e como dominá-la.

Casamento E Divórcio

O que “juntar” significa para maridos e esposas. Aspectos de responsabilidade que honram a Deus e cimentam a união matrimonial são enumerados. A tragédia do divórcio e suas causas. Finalmente, a verdadeira natureza da liderança no casamento é contrária à crença comum de hoje.

Salvação Pelo Senhorio ou Não?

O chamado do Senhor para negarmos a nós mesmos e carregar a cruz tem sido usado para ensinar a salvação pelas obras. Também tem sido usado para insistir em aceitar Seu senhorio como condição de salvação. Isso deveria ser acrescentado ao arrependimento e à fé? Nós respondemos pela Palavra.

As Raízes Da Descrença

Começando com as lições do Senhor sobre a alimentação dos 4.000, os líderes judeus tentam desacreditá-lo. Aqui descobrimos por que eles não receberam nenhum sinal. Aqui também estão suas doutrinas, porque elas devem ser evitadas (junto com seus equivalentes modernos) e como o próprio Cristo é o maior sinal.

O Que É Fé Salvadora?

O Senhor retardou a cura da filha da mulher siro-fenícia para que sua fé viesse à tona. Quem busca o Senhor pode ter que esperar pela salvação. Às vezes, essa espera é causada por arrependimento defeituoso, outras vezes a fé não é baseada em Cristo, em Sua obra e compaixão. Aqui encontramos a ajuda de … Continued

Ter Realidade Espiritual

Cristo vê seus discípulos a quilômetros de distância atravessando o Mar da Galiléia à noite em meio a uma tempestade. Então ele se aproxima deles caminhando sobre a água. Por que ele demonstra sua divindade dessa maneira? Aqui estão seis lições para todos os crentes e para aqueles que buscam o Senhor.

O Milagre Do Ensino Supremo

Os milagres autenticaram Cristo e ilustram a maneira como Ele cura e dá vida à alma. Aprendemos sobre Sua compaixão e Seu teste de fé para os discípulos. Em seguida, os oito propósitos do milagre, todos mostrando Cristo e como Ele deveria ser proclamado.

Convicções Naturais Ou Espirituais?

A história de Herodes Antipas e a captura e execução de João Batista nos fala sobre a consciência, tanto em seu poder quanto em sua fraqueza. As lições de Herodes, Herodias e “Salomé” para os crentes e para aqueles que buscam o Senhor são mais significativas do que os roteiros de sucesso de Hollywood.

O Envio Dos Doze

No início do treinamento dado pelo Senhor, os discípulos foram enviados em sua primeira missão de pregação. Eles eram ‘apóstolos’, tinham uma posição especial no primeiro estágio da igreja, mas suas condições de serviço se aplicavam em princípio a todos os crentes e especialmente aos pregadores.

Acesso A Deus

Por meio da ressurreição de uma menina, traçamos os estágios de recebimento do dom da salvação. Primeiro: o reconhecimento de Cristo. Segundo: o nascimento da fé. Terceiro: superação de reveses. Quarto: sinceridade. Quinto: o filtro vital da fé. Sexto: como Cristo age. Sétimo: vida imediata.

Curando Uma Hemorragia

O sofrimento de uma mulher pela cura ilustra nossa busca pela vida espiritual. Nós a procuramos? Seu ‘toque’ expressa a fé, embora em si não tenha poder, ainda busca a vida. Sua fé a “curou”, mas o texto grego diz que “a salvou.” Aqui, também, há uma mensagem milagrosa para os crentes.

Um Novo Começo

Um novo começo para um novo ano a partir da parábola do semeador. Por que o Senhor usou parábolas? A oferta universal de salvação vital. Os diferentes estados do coração dos ouvintes junto com conselhos aos não salvos e aos crentes.

Cristo Prepara a Igreja

A bondade de Deus é plenamente demonstrada nas promessas que ele faz na Bíblia. O fato de o Deus criador e soberano se dignar a nos fazer promessas é maravilhoso. Aqui estão algumas das maiores promessas, como Cristo as torna possíveis e como podemos recebê-las.

Afeições Murchas

Cristo ficou zangado e triste ao ver a ‘dureza de coração’ dos escribas e aqui está o porquê. Também vemos o que faz com que os crentes passem por tempos frios e a solução. A cura de um homem com a mão ressequida ilustra a maneira pela qual a fé salvadora opera para efetuar a … Continued

O Senhor Do Sábado

Aqui estão os propósitos do sábado, o propósito adicional após a libertação do Egito e o propósito ainda maior após a ressurreição de Cristo. Aqui também está o erro em rejeitar o quarto mandamento hoje e como Cristo é o Senhor do sábado.

A Mente De Cristo

Primeiro, o que Cristo viu em Mateus. Em segundo lugar, o que Cristo viu como o médico. Terceiro, porque os discípulos não jejuaram. Quarto, o remendar da roupa velha e do vinho novo em odres velhos: a peculiaridade dos testemunhos e a necessidade de conversão total para as pessoas que buscam o Senhor.

Os Modelos De Conversão

A primeira cura registrada de um leproso por Cristo e como ela ilustra a conversão. A cura de um paralítico em Cafarnaum e seus paralelos com a salvação. Mais do que uma demonstração de poder, aqui está o chamado de Cristo em milagres.

O Propósito De Cristo Apresentado

Começamos em Cafarnaum, uma cidade espiritualmente morta, apesar de ter judeus religiosos e curas significativas na sinagoga. Sete provas são então dadas de que os milagres de Cristo ilustram a cura espiritual transmitida às almas. Finalmente, dois milagres especiais e a mensagem de salvação para nós hoje são mencionados.

O Único Chamado de Cristo

Traçando os primeiros meses do ministério do Senhor, incluindo os três chamados sucessivos dos primeiros discípulos: 1) os elementos do chamado; 2) o trabalho para o qual foram chamados; e 3) sua resposta progressiva até alcançar a completa obediência a Cristo.

A Era Gospel Começa

Marcos apresenta o início da era do evangelho a partir do ministério de João Batista. Ele é aquele que chama a nação ao arrependimento e à mudança e que testemunha a aprovação de Cristo pelo pai. Aqui também está a razão do batismo de Cristo e o significado mais profundo de sua condição de “amado”.

Princípios Para Crentes

Várias instruções práticas revelam ‘regras’ que ainda se aplicam a crentes e igrejas, incluindo as metas que estabelecemos para viver para o Senhor e as responsabilidades que recaem sobre nós para defender a fé e a obra do evangelho.

Endividamento Da Nossa Motivação

A dívida para com o Senhor é o motor do compromisso real, e a exortação para servir a Cristo Jesus neste versículo baseia-se em um sentimento esmagador de gratidão. Aqui estão os deveres que devemos a Deus. Quem não é movido a responder, possivelmente não é salvo.

Maravilhas da Ressurreição

Há muito aqui sobre nossa transformação em corpos ressurretos na vinda de Cristo. Os corpos que têm a semelhança da vida animal serão adaptados ao reino físico, porém celestial, do novo céu e da nova terra. Como? Quando? Paulo conta tudo.

Singularidade Da Ressurreição de Cristo

Seis coisas únicas na história do mundo para o Evangelho. A testemunha pública proeminente da ressurreição. Seu propósito na história humana. O plano e a ordem de Deus para a salvação e o julgamento no retorno de Cristo. Aqui está a mensagem e o significado do ensino da ressurreição de Paulo.

A Expiação Substitutiva de Cristo

Paulo fala de Cristo como nosso substituto e portador do pecado. Aqui estão algumas das profecias a que ele se refere sobre a expiação. Aqui também estão textos dos Evangelhos e Apóstolos que mostram aspectos cruciais da obra redentora de Cristo, sendo estes a base de nosso amor por Ele.

A Orientação de Deus

“…E disse: Bendito seja o Senhor Deus de meu senhor Abraão, que não retirou a sua benevolência e a sua verdade de meu senhor; quanto a mim, o Senhor me guiou no caminho à casa dos irmãos de meu Senhor.”

Lembre-se De Ló, O Justo

“…E livrou o justo Ló, enfadado da vida dissoluta dos homens abomináveis; (Porque este justo, habitando entre eles, afligia todos os dias a sua alma justa, vendo e ouvindo sobre as suas obras injustas); Assim, sabe o Senhor livrar da tentação os piedosos, …’’.

As Regras de Deus Para Os Dons de Línguas e Adoração

Lendo essas regras e limitações dadas por Deus do ministério de profetas e falantes de línguas, vemos o enorme abismo entre o que realmente aconteceu no estágio de formação da igreja e o que os carismáticos fazem hoje. O caminho da obediência é o verdadeiro caminho da bênção.

A Supremacia Do Amor

O amor deve ser a virtude e o motivo que impulsiona tudo o que se faz por Cristo, insiste o inspirado apóstolo. Ele então mostra como age e reage em todas as circunstâncias, concluindo com as razões de sua supremacia sobre todos os dons e virtudes.

O Propósito Dos Dons Espirituais

Paulo fala dos dons de revelação e sinais que foram dados enquanto o Novo Testamento estava sendo escrito, que nunca foram para benefício individual, mas para todo o corpo. Nós os estudamos aqui, juntamente com a famosa analogia que mostra a mútua dependência e cuidado dos crentes.

A Necessidade da Ceia do Senhor

Corinto havia confundido uma refeição de comunhão com a Ceia do Senhor, mas Paulo os separa firmemente. A Ceia do Senhor é apresentada como um banquete espiritual, diferente, e que exige profunda seriedade. Aqui estão os símbolos e o que significa ingeri-los. Aqui está o Pacto da Graça.

A Ordem de Deus Para o Homem e a Mulher

Paulo responde à pergunta sobre os papéis de maridos e esposas e afirma a conformidade com o código de vestimenta de coberturas de cabeça na sociedade grega da época. Junto com Calvino e as principais confissões aqui mostramos que a “mensagem” do vestuário pode mudar em outros tempos e nações.

Remédios Para a Tentação

Três fatores são dados por Paulo para combater as tentações. Primeiro, a necessidade de vigilância – como as tentações vêm e como preparar o coração; em segundo lugar, a regra para resistir às tentações; em terceiro lugar, o poder da Ceia do Senhor para envergonhar o pecado e fortalecer nossa determinação.

Discernimento da Mensagem Bíblica

Entre os israelitas do Êxodo havia crentes e todos eles testemunharam livramentos e provisões milagrosas, mas caíram em vários pecados. Suas ações e as respostas de Deus são um padrão para épocas posteriores. Ao extrair essas lições intencionais para evitar o pecado (que estudamos aqui), não estamos alegorizando.

Preparação Para o Serviço

Paulo se faz servo de todos os homens. Aqui é mostrado o significado errado de suas palavras (que é comum hoje) e o correto. Também extraímos aplicações da ilustração de Paulo do “atleta focado” e sua explicação profunda de que o corpo é um servo da mente.

Motivos e Sinceridade

Paulo prova que ele é um apóstolo: aqui são expostas as tarefas e exigências únicas dos apóstolos como fundamento da igreja. Paulo foi motivado por sua comissão dada por Deus, pelo desejo de alcançar almas (com grande custo pessoal) e pela grande alegria de ver uma colheita.

A Batalha Do Orgulho No Crente

O conhecimento é vital e excelente, mas pode facilmente aumentar o orgulho e a vanglória. O apóstolo cita três virtudes (explicadas aqui) que dissolvem o orgulho e fazem do conhecimento uma fonte de bênção para a igreja.

Os Servos de Cristo Jamais Atado

Uma passagem que fala sobre as situações que colocam os crentes em desvantagem e a maneira correta de lidar com elas, começando pela escravidão ou qualquer outra posição onerosa na vida que nos aprisione. Em seguida, Paulo se dirige aos crentes solteiros e casados. Aqui temos grandes estímulos prioritários para todos.

A Heresia Da “Liberdade”

Uma heresia que se espalhou para as igrejas evangélicas em todos os lugares é a noção de que a liberdade cristã liberta os cristãos de terem que seguir regras e evitar atividades mundanas. Aqui mostramos as respostas de Paulo a tais afirmações e seu poderoso remédio para evitar a imoralidade.

Pureza e Felicidade da Igreja

A igreja de Corinto estava orgulhosa quando deveria ter sofrido profundamente com o estado poluído em que o “corpo” estava porque o incesto havia sido tolerado. Aqui é explicado o modelo de disciplina, também a propagação potencial do pecado e, positivamente, a contínua “festa” de alegria da verdadeira igreja.

Restauração Do Poder Espiritual

Os pregadores coríntios deixaram de lado a autoridade apostólica e falharam em abordar muitas questões vitais (listadas aqui). Paulo dá um mandato obrigatório para seguir a “igreja modelo” das Escrituras, tão negligenciada hoje. Um ministério completo e fiel receberá poder de conversão e edificação.

Deveres e a Vida de um Ministro

Como avaliar e considerar os pregadores – aqui estão explicados os padrões do apóstolo. O problema das panelinhas, suas causas e cura; também o estilo de vida simples e razoável dos servos de Deus exigido pelo exemplo apostólico, e o contraste visto hoje em pregadores ‘celebridades’.

Edifício Espiritual

Paulo nos fala sobre o crescimento da igreja, advertindo que os corações dos crentes podem ser conquistados pela carne em grande medida. Ele também explica que ganhar almas é obra de Deus e devemos ter cuidado como construímos. Aqui estão explicadas as aplicações; e fala do caso daqueles que perderão uma recompensa, mas serão salvos … Continued

Coisas Que Só os Crentes Veem

O apóstolo nos ensina a cegueira espiritual de nosso estado não convertido e o contrasta com as maravilhas reveladas no Evangelho, incluindo glórias futuras (aqui descritas). Aqui também é explicado o significado de “comparar coisas espirituais com a espiritual”, julgar todas as coisas e “viver” a mente de Cristo.

Deus “Contraria” a Sociedade

Esta passagem começa com a cegueira do homem para as coisas de Deus, provando que somente o poder divino pode despertar as almas perdidas. De fato, Deus chama os humildes para trazer luz e vida aos sábios e “exaltados” para mostrar que toda a glória é devida a Ele.

A Verdadeira Fonte de Poder

Para que o Evangelho seja crível (como ensinavam os coríntios), precisamos de personalidades ou pregadores conspícuos. Aqui Paulo proclama a verdadeira fonte do poder espiritual, isto é, a pregação da cruz de Cristo, e porque é “loucura” para os que perecem e poder para os salvos.

Um Manual para a Vida Devota

Este primeiro estudo de uma nova série em 1 Corintios explora os grandes temas dos versículos iniciais: as credenciais de um pregador, a definição de uma igreja, a graça como base de todas as bênçãos, as características da conversão e as maravilhas da parceria com Cristo.

As Boas Obras do Crente

O apóstolo ordena a sujeição às autoridades constituídas e proíbe a difamação deles ou de outros. Ele revisa as nossas vidas passadas, e dá-nos um vislumbre de 14 pontos da poderosa obra de Deus em nosso interior, movendo-nos a trabalhar pela salvação de outros.

Deus Treinando os Crentes

Um conceito aparentemente incomum, porém crucial, dado por Paulo nesta passagem, é que a graça nos disciplina e treina. Neste sermão vemos como isso acontece, juntamente com o notável resumo das metas e objetivos do crente neste mundo presente, enquanto eles aguardam ardentemente pelo retorno do Senhor.

O Conceito de Ministério de um Apóstolo

Em primeiro lugar vem a dependência das orações dos crentes, especialmente para liberdade de pregação e clareza na mesma – e o que isso significa para os nossos dias. Vemos também os componentes vitais para o ministério bíblico, e o comovente conceito do que é ser um embaixador em cadeias.

A Espada do Espírito

Na metáfora do soldado, a espada do Espírito representa a obra evangelística da igreja. Este sermão apresenta o poder penetrante, perscrutante e persuasivo do Evangelho ao ser proclamado pelos apóstolos. Uma igreja ou um crente que não proclama a salvação são como um soldado sem espada.

O Capacete da Salvação

O capacete é a esperança ou antecipação da salvação final. Quando a glória do Céu raiar sobre as nossas almas e virmos a Cristo, que é o maior de todos os incentivos que temos para servi-Lo. Temos aqui a ênfase do Senhor na vida eterna e a experiência do crente na morte.

O Grande Propósito do Cristão

O terceiro componente da armadura do cristão, o calçado, retrata-nos em nossa marcha rumo ao evangelismo. Trata-se da prontidão para a obra de evangelizar. Vemos aqui algumas das partes essenciais dessa prontidão e os meios providos por Deus para que estas permaneçam presentes no coração.

A Couraça da Justiça

Nesta passagem, o apóstolo nos mostra como a retidão opera para proteger o coração ou as afeições do salvo – um grande alvo do diabo. Neste sermão aprendemos como a autonegação, o amor por Cristo e a obediência aos mandamentos protegem o coração de impureza e vergonha.

O Cinto da Verdade

A peça fundamental da armadura do cristão é, primeiramente, a verdade objetiva, a saber: as imutáveis doutrinas da fé. (Já a espada se trata da Escritura usada “ofensivamente” para tornar Cristo conhecido). Em segundo lugar, o cinto é a verdade subjetiva, veracidade e sinceridade, para as quais este sermão apresenta regras úteis.

Fortalecei-vos no Senhor

Este sermão apresenta a passagem introdutória à magnífica descrição da “armadura” cristã, a saber: tudo que é necessário na batalha espiritual para que nos defendamos dos ardis do diabo e para que preservemos e melhoremos a nossa instrumentalidade para o Senhor. Cada um desses itens é uma maravilha da graça e maravilhosamente eficaz.

Ministério Mútuo e o Culto

Após começar com o dever da conversação, admoestação e encorajamento entre crentes, o apóstolo passa à bênção do cantar de salmos, além de hinos e cânticos espirituais (explicados nesta mensagem). Além do mais, aprendemos sobre os elementos do verdadeiro culto (público e individual) e a importância de salmodiar ao Senhor no coração.

Benignidade, Pureza e Substância

Este sermão trata do dever e tesouro da benignidade para com o povo de Deus e de seus impedimentos, contrastados com o grande motivo: a total prontidão da natureza do amor de Cristo por nós, e o fato de Ele ter Se entregado por toda a eternidade. Aprendemos também acerca da necessidade de pureza, e … Continued

Os “Primeiros” Pecados

Chamamos de “primeiros” pecados aqueles que, além de profundamente ofensivos a Deus, também fixam profundas raízes em nosso caráter, promovendo outros pecados e moldando nossa inteira pessoa, ao passo que novas virtudes opostas a eles (promovidas com a ajuda do Senhor) levam à uma inteira vida de bênçãos e instrumentalidade.

A Nova Pessoa

Neste sermão temos primeiramente uma análise do triste estado do coração do perdido. Em seguida, dois níveis de transformação: (1) a conversão, onde o despir-se da velha vida e o vestir-se da nova vida são obra de Deus; e (2) os detalhes da santificação, onde os crentes recebem de Deus o poder para agir.

As Riquezas da Verdade

Nesta passagem, o apóstolo expõe o vital papel da igreja, como um todo, funcionando de maneira conjunta em evangelismo e em santificação. O agente chefe de tudo isso é “a verdade”. Neste sermão, buscamos apreciar mais completamente os privilégios e o poder da fé confiada a nós.

Crescimento Espiritual

Neste sermão, temos a definição de “unidade” como sendo um laço entre aqueles que são unidos a Cristo sendo feitos à Sua semelhança, e não como o ser membro de uma organização. Em seguida, aprendemos sobre a oposição que os crentes enfrentarão e a resposta de um viver santo. Finalmente, aprendemos sobre serviço e lealdade … Continued

O Propósito dos Pastores

Primeiramente, o apóstolo mostra que o ministério da igreja de Cristo foi descrito nas profecias. Em seguida, ele identifica os diferentes tipos de mestres por meio de seus deveres (aqui mostrados), e afirma os grandes objetivos de todos os ministérios – o ganhar de almas, a santificação e uma proximidade de Cristo.

A Unidade do Espírito

Começando com os pré-requisitos para a comunhão cristã, Paulo apresenta sete razões para uma íntima união nas igrejas, sendo cada uma dessas razões um encorajamento poderoso. Ele também mostra o que significa ser um corpo, sob um Espírito Santo, com uma eterna esperança, um Senhor, uma fé, um batismo e um Pai.

A Unidade do Espírito

Começando com os pré-requisitos para a comunhão cristã, Paulo apresenta sete razões para uma íntima união nas igrejas, sendo cada uma dessas razões um encorajamento poderoso. Ele também mostra o que significa ser um corpo, sob um Espírito Santo, com uma eterna esperança, um Senhor, uma fé, um batismo e um Pai.

A Vocação do Crente

Este sermão discorre primeiramente acerca na natureza do chamado de Deus: irresistível, transformador e a base da nossa certeza de salvação. Em segundo lugar, ele fala sobre o objetivo do chamado: perdão, liberdade, santidade e o céu; Em terceiro lugar, o caráter dos chamados: humildade, mansidão, paciência e longanimidade entre os crentes e para com … Continued

A Vocação do Crente

Este sermão discorre primeiramente acerca na natureza do chamado de Deus: irresistível, transformador e a base da nossa certeza de salvação. Em segundo lugar, ele fala sobre o objetivo do chamado: perdão, liberdade, santidade e o céu; Em terceiro lugar, o caráter dos chamados: humildade, mansidão, paciência e longanimidade entre os crentes e para com … Continued

Deus Glorificado na Igreja

A igreja verdadeira é uma demonstração da glória de Deus ao mundo. A natureza humana prefere valorizar personalidades, pregadores e até mesmo músicos e suas produções, mas o papel dado a nós por Deus é mostrar os frutos da obra da conversão e da santificação operadas dentro de nós.

A Necessidade Diária do Crente

Nessa passagem, o apóstolo ora para que os crentes tenham Cristo em seus corações (algo explicado neste sermão). E se nós estivermos arraigados e fundados em amor para com Ele, nós conheceremos mais do amor d’Ele para conosco. Aprendemos também qual é a dimensão da largura, comprimento, altura e profundidade desse amor.

A Vida Por Inteiro de um Crente

Nesses versículos, Paulo mostra a urgência por um maior conhecimento, não apenas de doutrinas, mas dos caminhos de Deus, de como Ele lida conosco e o quinhão dos crentes. Aprendemos também sobre aplicar a Palavra, sobre nossas metas, comportamento e o poder de obedecer e agradar a Deus.

Cristo Suportando a Cruz

Neste sermão, vemos a preeminência de Cristo, que se rebaixou a fim de ser o nosso bode expiatório e Salvador. Aprendemos também que Cristo previu as conquistas que Ele obteria, bem como o que Ele suportou na cruz do Calvário. Vemos também que Ele manteve uma fé obediente enquanto passava pelo mais profundo imaginável vale … Continued

A Presença de Deus

Os conselhos finais de Paulo põem diante de nós os seguintes deveres: a alegria cristã; manter vivas a fé e uma perspectiva espiritual; ser de um mesmo parecer como família e igreja local e manter a harmonia. Temos aqui os passos a serem tomados e o grande galardão da presença de Deus em nosso meio.

Testando-nos para a fé

Primeiro, o problema quando os crentes reformam seu comportamento, mas sem qualquer profundidade de arrependimento. Aqui está um conselho vital. Então Paulo nos diz que se Cristo está em nós, é bastante claro de ver. Aqui estão os sinais de Sua habitação em verdadeiros crentes.

Força para os Servos

Nesta passagem, o apóstolo Paulo revela que ele, de maneira misteriosa, passou pela experiência de ir ao paraíso, a fim de estar preparado para tudo o que ele haveria de suportar. Ele também fala das aflições que lhe sobrevieram para mantê-lo humilde, e para mostrar a ele e a nós que toda conquista é obra … Continued

Por que Paulo Sofreu

A labuta e os sofrimentos de Paulo: 1) contribuíram para a sua autenticação; 2) revelaram o seu amor por Cristo e pelas almas; 3) mostraram suas limitações humanas; 4) preservaram sua humildade; 5) equiparam-no para que ele pudesse confortar a outros; 6) expuseram a hostilidade humana; 7) aprofundaram-lhe o desejo pela glória e 8) estabeleceram … Continued

A Vida de Paulo

Com relutância, Paulo fala de sua vida e obra para defender o seu posto, tão atacado pelos hereges. Neste sermão aprendemos sobre o seu nível de comprometimento, de luta pela verdade e de sua fidelidade em trabalhos, privações e perseguições. Será que o nosso comprometimento tem sido diluído pela prosperidade, confortos e auto-bajulação de nossa … Continued

Defendendo a Igreja

Como os coríntios foram superficiais ao permitir a entrada de falsos mestres no meio deles! Só precisou que eles dissessem ser pregadores cristãos e ninguém lhes perguntou nada. Quando se deixa o discernimento de lado, o resultado são a ocorrência de conquistas satânicas. Uma guerra semelhante acontece em boas igrejas hoje em dia.

Dádivas: Semeadura e Colheita

As instruções do apóstolo quanto ao ato de ofertar têm, com frequência, surpreendido a muitos. Nesta passagem, vemos que a prioridade do Evangelho é enfatizada até mesmo na coleta de ofertas para alívio dos necessitados; vemos também uma preciosa lista de metas e atitudes, resultando em uma recompensa de enriquecimento espiritual, e não carnal.

A Mente de Cristo

Esta mensagem marca uma pausa na série de estudos em 2 Coríntios para uma reflexão na obra redentora de Cristo, examinando as afirmações feitas por Ele durante todo o Seu ministério terreno, prevendo os detalhes do Calvário e da ressurreição, que eram o alvo e triunfo de Seu imensurável amor pelo Seu povo.